Revista CheckSound - a música em imagens!

Sobre a CheckSound

Somos uma revista online que procura marcar diferença na cobertura fotográfica de concertos e festivais em Portugal... se achas que tens perfil, junta-te a nós, clicando AQUI...


Publicação Registada na E.R.C. nº 125369

NEWSLETTER


Warning: Creating default object from empty value in /home/checkspt/public_html/administrator/components/com_acajoom/classes/class.module.php on line 311


Receber em HTML?

Fale Connosco!

  • E-Mail

    (clique AQUI para enviar)

  • Morada

    *Brevemente

NESTES PRÓXIMOS DIAS ESTAREMOS A ACTUALIZAR O NOSSO WEBSITE PARA A NOVA PLATAFORMA, PEDIMOS DESCULPA POR QUALQUER INCÓMODO...
Home
A+ R A-

Ghost no MEO Arena (Sala Tejo) dia 15 de Abril de 2017

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Share


Ghost ao vivo no Meo Arena - Sala Tejo
Dia 15 de Abril de 2017
Ghost

THE POPESTAR TOUR 2017

15 Abril | MEO Arena (Sala Tejo)

1ª Parte: Zombi

 

Abertura Portas: 20h00 - Inicio espetáculo: 21h00 

"O Papa Emeritus III e os seus acólitos regressam a Portugal para uma atuação única em Lisboa... E a Páscoa, na capital, promete nunca mais ser a mesma."
Haverá melhor altura para uma “missa negra” que a reta final da Quaresma, a escassas horas de mais um Domingo da Ressurreição? Enquanto lá fora, pelo país, se ultimam todos os preparativos para a principal celebração do ano cristão, na Sala Tejo, em Lisboa, os GHOST vão inverter o paradigma litúrgico, numa atuação que promete ficar cravada – a ferro e fogo – na memória da horda de devotos que, em de Novembro de 2015, esgotaram totalmente a lotação do Hard Club e do Paradise Garage, no Porto e em Lisboa, respetivamente. Outra coisa não seria de esperar, de resto. Apresentados ao mundo como “um ministério de adoração ao Diabo, que – de forma a difundir um evangelho profano – decidiu usar o rock para atingir os seus objetivos”, a banda é, sem dúvida, uma das propostas mais entusiasmantes surgidos no universo da música pesada moderna no Séc. XXI. Seja em estúdio ou ao vivo, onde brilham como ninguém, ao longo dos últimos seis anos os músicos anónimos têm mostrado exatamente como deixar a sua marca ao combinarem de forma cuidadosamente coreografada uma forte componente teatral com a força contagiante de canções que, ao primeiro impacto, ficam coladas ao ouvido. O resultado desta misteriosa alquimia transforma-se numa experiência memorável, que merece ser testemunhada ao vivo e a cores – preferencialmente de negro.
 
Vencedores de um Grammy e a vender o chifrudo às massas desde 2010, não deixa de ser curioso que uma banda com uma mensagem como a dos GHOST tenha conseguido ganhar uma expressão tão significativa junto de um público mais mainstream. Sobretudo quando o modus operandi que adotam parece evitar a todo o custo as armadilhas do mundo virtual em que vivemos hoje. Isto porque são um projeto anónimo a mover-se sorrateiramente numa sociedade obcecada pelas celebridades e cega pelas redes sociais, mas num curto espaço de tempo conseguiram atingir níveis de sucesso com que a maioria dos grupos de rock/metal só pode sonhar e, mantendo-se firmemente envoltos numa nuvem de mistério, cultivaram a excelsa personalidade de subversão e simbolismo que os destaca de toda a competição. Engana-se, no entanto, quem pensar que o sucesso da banda de Linköping se deve única e exclusivamente a um elaborado plano de promoção estratégica e muitíssimo inteligente do fascínio pela intriga e curiosidade que os seis músicos cultivam – e, surpreendentemente, conseguem manter – desde que, há quase uma década, emergiram como uma mancha negra das profundezas.
 
Firmemente apoiados na mestria com que, desde que lançaram a estreia «Opus Eponymous» em 2010, fundem um cenário de horror macabro que vai beber influência ao legado de artistas como Arthur Brown e Alice Cooper com os riffs dos Blue Öyster Cult e Mercyful Fate, a dose certa de psicadelismo e melodias que deixariam os The Beatles e os Abba profundamente orgulhosos, os GHOST conquistaram fiéis dentro e fora do universo do metal. A música, mais refinada em «Infestissumam» e «Meliora», o segundo e terceiro discos de longa-duração, de 2013 e 2015, respetivamente, afirma-se sem grande dificuldade como algum do mais credível e tecnicamente competente heavy metal de que à memória recente – e, além de um Grammy, tem-lhes valido rasgados elogios de personalidades tão respeitadas e influentes como James Hetfield, Phil Anselmo, Fenriz e Dave Grohl, com quem gravaram inclusivamente o EP «If You Have Ghost». Entretanto andaram pelo mundo a tocar para plateias totalmente rendidas, ao lado de bandas como os Metallica e Iron Maiden, estabelecendo-se como um verdadeiro bastião de entretenimento e como sinónimo de uma noite bem passada. Já em 2016, o misterioso sexteto sueco editou o muito aplaudido EP «Popestar», que serve agora de mote ao seu regresso ao nosso país.
 
Os bilhetes para o concerto custam 25€, à venda a partir de 29 de Novembro nos locais habituais.
 
 
Biografia
A génese dos Ghost remonta a 2006 quando, no ensaio de uma outra banda em que tocavam alguns dos elementos fundadores do projeto, um dos atuais Nameless Ghouls tocou pela primeira vez o riff que daria origem a «Stand By Him», o tema que deu o mote para a criação de uma das entidades mais misteriosas de que há memória no espectro da música pesada nas últimas décadas. Escolhido o nome Ghost, os músicos decidiram incorporar a sua paixão pelo cinema de terror, as tradições do heavy metal escandinavo no imaginário do coletivo e, indo buscar inspiração à teatralidade proeminente em nomes de referência no shock rock como Arthur Brown e Alice Cooper, criaram uma imagem muito forte, que nunca negou também a adoração pelos Kiss. Tomando lentamente forma, a banda gravou uma primeira maqueta com três temas no início de 2010 e um single de vinil 7” de edição limitada (com os temas «Elizabeth» e «Death Knell»), que lhes valeu a atenção de Fenriz e Lee Dorian. O ex-vocalista dos Napalm Death e Cathedral acabou por lançar o álbum de estreia do sexteto a 18 de Outubro de 2010.
 
Envolto em mistérios e suposições, «Opus Eponymous» gerou um enorme burburinho e ótimas críticas, sendo nomeado para um Grammy sueco, na categoria “melhor álbum de hard rock” no ano seguinte. Em Abril, o grupo partiu em digressão com os Paradise Lost – atuando como “suporte” aos britânicos durante a Draconian Times MMXI Tour –, estreou-se nos Estados Unidos com um concerto no reputado Maryland Deathfest e integrou o cartaz do Download Festival, no Reino Unido, a 11 de Junho. Phil Anselmo, que atuou no mesmo dia, usou uma t-shirt dos Ghost e convidou três Nameless Ghouls, os dois guitarristas e o baterista, para subirem ao palco no final do espetáculo dos Down. Durante 2012 os músicos mantiveram-se consistentemente na estrada, primeiro com Trivium e In Flames na Defenders of the Faith III Tour, ao que se seguiu a 13 Dates of Doom pelos Estados Unidos – a primeira campanha como cabeças de cartaz – e, de Abril a Maio, a Heritage Hunter Tour, na companhia dos Mastodon e Opeth. A 15 de Dezembro de 2012, os Ghost deram um espetáculo muito especial na sua cidade natal, Linköping, onde aproveitaram para apresentar um novo frontman, o Papa Emeritus II, e estrear um inédito. «Secular Haze», o primeiro avanço ao segundo longa-duração, foi disponibilizado online uns dias depois e, em Janeiro do ano seguinte, incluído num single de 10” com uma versão de «I'm a Marionette», dos ABBA, no lado B.
 
O muito aguardado «Infestissumam» chegaria aos escaparates a 16 de Abril de 2013 através do selo Loma Vista Recordings, uma subsidiária do Universal Music Group. Do outro lado do Atlântico, a estreia dos Ghost numa multinacional tinha sido antecedida por uma alteração de nome para Ghost B.C. por questões legais e sofrido um atraso muito considerável – as quatro primeiras fábricas de CDs a que o disco foi apresentado recusaram o trabalho, descrevendo a capa como “a ilustração de uma orgia no Séc. XVI”. Envoltos em controvérsia e mistério, dão o tiro de partida para a Haze Over North America Tour – vinte datas nos Estados Unidos e Canadá – uns dias antes do lançamento do álbum, frente a milhares de pessoas no famoso Coachella Festival. A subir rapidamente degraus na sua progressão de carreira, o coletivo não perdeu tempo, embarcando numa colossal digressão mundial e na Still Hazing over North America Tour, que culminou no festival Lollapalooza, em Chicago. De seguida foram para a América do Sul ao lado dos Iron Maiden e Slayer, tocaram no Rock In Rio e fizeram mais duas digressões do outro lado do Atlântico e no Reino Unido, com os Avenged Sevenfold e Alice in Chains, respetivamente.
 
Antes de 2013 chegar ao fim editaram mais um EP. Produzido por Dave Grohl, «If You Have Ghost» incluía versões de Roky Erickson, ABBA, Army Of Lovers e Depeche Mode, explorando o fascínio dos músicos pela música pop. O ano seguinte começou em grande, com o grupo a arrebatar o galardão para “melhor álbum de Hard Rock/Metal” nos Grammys suecos, seguindo-se mais uma digressão nos Estados Unidos e a participação no Sonisphere em Junho. «Meliora», o terceiro álbum de estúdio e muito aguardado sucessor de «Infestissumam», foi editado a 21 de Agosto de 2015 e marcou a estreia em disco do Papa Emeritus III, aumentando ainda mais o posicionamento do grupo no music business. Antecedido pelos singles «Cirice» e «From The Pinnacle To The Pit», o registo subiu aos tops de vendas por esse mundo fora, cimentando de vez a reputação criativa de Emeritus e dos seus Nameless Ghouls. Já em 2016 voltam às edições com outro EP, intitulado «Popestar». Seguindo o raciocínio adotado em «If You Have Ghost», aquele que é, à data, o mais recente lançamento do grupo sueco reúne o original «Square Hammer» e improváveis, mas muitíssimo bem conseguidas, versões de originais dos Echo & The Bunnymen, Simian Mobile Disco, Eurythmics e Imperiet.
 
 
 

Os bilhetes para o concerto custam 25€

Press release: Prime Artists

Share


Promotoras de Concertos

evethingnew      musica_no_coracao      PrimeArtists_logo       rtmosblues       xis1       ohdamnproductions_res50       ritmos      rockRioLisboa      Swr_inc_   

PEVEntertainment   SonsemTransito   uguru   RememberMinds   eventosimediatos  chavedesom  aboutmusic  ProdutoresAssociados  |  

Agências de Comunicação: Lift